Irã elogia posição brasileira sobre Primavera Árabe

Para chanceler iraniano, chegada de Dilma ao poder não alterou a 'excelente' relação entre Teerã e Brasília

GENEBRA , O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2012 | 03h01

O governo do Irã elogiou ontem a posição do Brasil nos conflitos no Oriente Médio e no impasse nuclear entre Teerã e o Ocidente. Segundo o chanceler Ali Akbar Salehi, a chegada de Dilma Rousseff ao poder não afetou a relação bilateral. "Nossas relações com o Brasil são excelentes e têm de tudo para continuar assim", declarou o ministro de Relações Exteriores ao Estado. "Apreciamos muito a posição adotada pelo governo brasileiro na região."

Para a chancelaria iraniana, a posição brasileira sobre a crise síria mostra a independência do governo brasileiro. Em dezembro, o chanceler Antonio Patriota teria garantido a uma delegação iraniana que o Brasil não seguiria o caminho da UE ou dos EUA, adotando sanções unilaterais. O País tem defendido uma saída negociada para o conflito na Síria. Para Saheli, as potências ocidentais tem usado os direitos humanos como instrumento de política externa.

Israel e palestinos. O governo de Dilma Rousseff também se oferece para fazer parte de uma solução para a crise entre palestinos e Israel. Em Genebra, a ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, disse que o Brasil quer fazer parte do processo de paz. "O Brasil está pronto para contribuir. Credencia-nos para tanto o exemplo de respeito e convivência pacífica entre árabes e judeus na sociedade brasileira", afirmou. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.