Irã encerra cooperação voluntária com a AIEA

O governo do Irã cumpriu a ordem dada ontem pelo presidente do país e encerrou toda a cooperação voluntária que vinha oferecendo à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), anunciou o chanceler Manouchehr Mottaki. A medida é uma resposta à decisão da Junta de governadores da agência, de enviar a análise do programa nuclear da República Islâmica ao Conselho de Segurança da ONU."Não temos mais nenhuma obrigação referente ao protocolo adicional" (do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, ou TNP), disse Mottaki, referindo-se a uma série de compromissos que vinham sendo assumidos pelo país, embora não constassem do texto do TNP. Na prática, isso significa que o Irã voltou a enriquecer urânio e não permitirá mais inspeções de surpresa da AIEA em suas instalações.O Irã vem enfatizando que continuará a honrar os compromissos que constam do TNP, e que tratado permite o desenvolvimento de um programa nuclear para fins pacíficos."A adoção de uma política de resistência não significa que cortamos o diálogo ou que deixaremos de cooperar", disse o chanceler. "Ontem, tivemos duas opções, resistência ou rendição. Optamos pela resistência".Vinte e sete dos 35 países que compõem a direção da AIEA votaram para submeter o caso iraniano ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, em meio aos temores de que o Irã pretenda criar armas nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.