Irã enforca 12 condenados por crimes 'sérios'

Sete dos executados foram considerados culpados por tráfico de drogas. Os outros cinco foram sentenciados à morte por estupro, sequestro e roubo à mão armada

Gabriela Mello,

15 de janeiro de 2012 | 12h35

Autoridades iranianas enforcaram neste domingo 12 pessoas condenadas por vários crimes sérios na cidade de Shiraz, no sul do país, segundo a agência de notícias Mehr. Sete dos executados foram considerados culpados por tráfico de drogas. Os outros cinco foram sentenciados à morte por estupro, sequestro e roubo à mão armada.

As mortes elevam para 15 o número de enforcamentos realizados no Irá desde o começo deste ano, de acordo com a agência France Press. Na semana passada, a União Europeia (UE) expressou preocupação sobre o número de execuções no Irã em 2011, e pediu que "milhares" de condenados no corredor da morte tenham a pena comutada. No ano passado, 277 pessoas foram enforcadas, mostrou uma contagem da France Press.

Em 2010, o grupo Human Rights Watch contabilizou 388 execuções, enquanto a Anistia Internacional apontou 252. O Irã é um dos principais adeptos da pena capital no mundo, distinção compartilhada com a China, a Arábia Saudita e os Estados Unidos. O país islâmico afirma que a pena de morte é essencial para manter a lei e a ordem, e é aplicada apenas após exaustivos processos judiciais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãenforcamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.