Irã: envolvimento do CS é inevitável, diz ministro francês

Na última tentativa de negociações à respeito do programa nuclear do Irã, o ministro de relações exteriores da França, Philippe Douste-Blazy, disse não concordar em "nada" com as propostas do representante iraniano, Javad Vaedi. "O processo de negociação chegou a um impasse e o envolvimento do Conselho de Segurança agora é necessário", disse Douste-Blazy, após conversas entre autoridades francesas, britânicas e alemãs, e Vaedi.Já o ministro do exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, afirnmou que "não há mais nenhuma nova proposta" dos iranianos agora.Os ministros do exterior da UE irão pedir, mais uma vez, para o Irã acabar com todas as atividades de enriquecimento nuclear, avisando que se forem ignorados novamente eles levarão a questão ao Conselho de Segurança da ONU.No inicio do mês, o Irã retirou os lacres da ONU em seus laboratórios de enriquecimento de urânio, dizendo que voltaria às pesquisas nucleares após dois anos de moratória. Teerã disse que a pesquisa envolveria o que chamam de um limitado enriquecimento de urânio.A proposta russaA UE disse que a proposta russa de enriquecer o urânio em seu território e depois mandá-lo para o Irã, permitindo maior segurança no processo, pode ser uma forma de acabar com o impasse. O negociador nuclear geral do Irã, Ali Larijani, disse, no entanto, que a proposta não consegue "suprir toda a demanda de energia nuclear que o Irã necessita".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.