Irã está muito longe de obter armas atômicas, diz general russo

O chefe de Estado-Maior da Forças Armadas da Rússia, o general Yuri Baluyevski, afirmou hoje que as atividades nucleares conduzidas pelo Irã não permitirão ao país construir armas atômicas nem sequer a longo prazo. "Posso afirmar com toda segurança que o que o Irã faz hoje não lhe permite fabricar armas nucleares em uma perspectiva imediata nem em uma distante", disse Baluyevski à imprensa. Ao responder a uma pergunta de um jornalista sobre se os preparativos militares do Irã representam um perigo para a Rússia, o general comentou: "Não enxergo tal ameaça". "Na minha opinião, tudo o que fazem os iranianos nesse campo é para impedir uma agressão contra seu país", acrescentou Baluyevski, que discursou hoje perante a Câmara Pública, um organismo consultivo ligado ao Kremlin. O contencioso nuclear iraniano será abordado por Rússia, Estados Unidos, China e a tríade européia (Reino Unido, França e Alemanha) na próxima terça-feira em Moscou. O porta-voz da Chancelaria russa, Mikhail Kaminin, que anunciou o encontro, indicou que as conversas reunirão representantes das mais altas esferas de seus respectivos países, embora não tenha especificado quem estará presente. A crise ao redor do Irã se agravou nesta terça-feira quando o presidente Mahmoud Ahmadinejad anunciou que Teerã tinha completado o ciclo de produção de combustível nuclear, primeiro passo no processo de enriquecimento de urânio. O porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, declarou que, nas conversas em Moscou, serão avaliadas as possíveis atitudes que a ONU poderá tomar para forçar o Irã a abandonar suas pretensões nucleares.

Agencia Estado,

15 Abril 2006 | 06h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.