Irã está pronto para negociar troca de urânio, diz Ahmadinejad

País quer discutir acordo de combustível nuclear com a AIEA anteriormente declinado

estadão.com.br

20 de agosto de 2010 | 09h29

TEERÃ - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta sexta-feira, 20, que seu país está pronto para conversar com as potências mundiais sobre um acordo de troca de combustível nuclear, informa a agência de notícias AFP.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

O presidente disse que o Irã "está pronto para retomar no fim de agosto ou no início de setembro" as conversas com os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) - EUA, Rússia, China, França e Reino Unido - e com a Alemanha sobre a troca de urânio enriquecido.

 

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, porém, disse na quarta-feira que o país não iria manter conversações com os EUA sobre seu programa nuclear se as sanções e ameaças militares não forem retiradas.

 

O Irã rejeitou em outubro de 2009 um acordo proposto pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que previa a troca de urânio pouco enriquecido por material já pronto para ser usado como combustível nuclear. Meses depois, o país começou a enriquecer urânio a 20%.

 

A recusa elevou as tensões sobre o programa nuclear iraniano, que as potências ocidentais acusam de ter natureza clandestina e aplicações bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas. Teerã nega tais alegações. 

 

Um acordo mediado por Brasil e Turquia para troca de urânio chegou a ser assinado com o Irã em maio. O acordo, porém, foi rejeitado pelo Grupo de Viena - composto por Rússia, França, EUA e AEIA - e o Conselho de Segurança da ONU optou por impor uma quarta rodada de sanções ao país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.