Irã impede que líderes da oposição deixem o país

O deputado conservador Mousa Qorbani, integrante do Comitê Judiciário do Parlamento do Irã, disse que os principais líderes da oposição iraniana estão proibidos de deixar o país. Entre os alvos da medida estariam Mir Hossein Mousavi e Mahdi Karroubi, ambos ex-candidatos à Presidência do Irã na eleição de 2009, e o ex-presidente Mohammad Khatami.

AE-AP, Agência Estado

25 de dezembro de 2010 | 15h43

Qorbani também deu a entender que o governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad pretende levar os principais líderes da oposição a julgamento, o que vinha evitando fazer até agora, embora muitos militantes de base da oposição tenham sido julgados e condenados depois dos protestos que se seguiram à eleição de 2009.

Segundo o deputado, o governo "reconheceu" que Mousavi, Karroubi e Khatami são "mohareb" (algo como "em combate com Deus"). "Por isso, eles estão proibidos de partir", acrescentou Qorbani.

A oposição sustenta que Mousavi foi o verdadeiro vencedor da eleição de 2009 e que só uma enorme fraude permitiu que Ahmadinejad fosse reeleito. Na última quarta-feira, Mousavi e Karroubi divulgaram um comunicado afirmando que já vivem em uma "grande prisão" e que não importaria se ambos fossem colocados em uma "pequena prisão" por defenderem os direitos do povo iraniano.

O ex-presidente Khatami, por sua vez, havia sido impedido de viajar em abril para o Japão, onde participaria de uma conferência sobre o diálogo entre culturas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.