Irã inicia estudo para construir reator de fusão nuclear

A agência nuclear iraniana iniciou estudos para a construção de um reator de fusão nuclear experimental. Até onde se sabe, o Irã nunca promoveu nada além de pesquisa para a fusão nuclear, mas o país possui um programa de fissão nuclear que os EUA e seus aliados acreditam ser um meio para a construção de armas, acusação que o governo iraniano nega.

AE/AP, Agência Estado

24 de julho de 2010 | 10h31

A fusão nuclear, processo que dá energia às estrelas, até o momento foi desenvolvida apenas como arma, produzindo explosões termonucleares de bombas de hidrogênio. Ela nunca foi usada para a geração de energia.

O vice-presidente do Irã, Ali Akbar Salehi, que também dirige a Organização de Energia Atômica do Irã, disse em conferência que um novo programa de pesquisa de sua agência foi criado com um orçamento inicial de US$ 8 milhões para conduzir pesquisa "séria" na área de fusão nuclear. Asghar Sediqzadeh, diretor do novo centro de pesquisa de fusão, disse que o Irã vai demorar dois anos para completar esses estudos e outros dez para projetar e construir um reator.

"A fase científica do projeto efetivamente começou hoje. Nós já contratamos 50 especialistas com essa finalidade", disse ele à rede de televisão estatal.

O Conselho de Segurança da ONU já aprovou quatro conjuntos de sanções contra o programa nuclear iraniano, com a suspeita de uso para a fabricação de armas. O Irã nega as acusações, afirmando que seu programa tem como objetivo apenas a geração de eletricidade. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãreator

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.