Irã insiste em enriquecer urânio após terceira rodada de negociações

O Irã insistiu ao final da terceira rodada de negociações com a Rússia, nesta quarta-feira, que tem direito a processar urânio em seu território. A declaração frustrou o novo round de conversas sobre a proposta de Moscou de enriquecer urânio em território russo para abastecer as usinas atômicas iranianas.As negociações duraram cinco horas, e tiveram o secretário do Conselho de Segurança do Kremlin, Igor Ivanov, como representante da Rússia. O porta-voz da Rússia admitiu que, nas conversas entre russos e iranianos, ainda não foi obtido um avanço definitivo.O chefe da delegação iraniana, o secretário do Conselho Supremo de Segurança, Ali Larijani destacou, por sua vez, que as conversações entre a Rússia e o Irã sobre a questão nuclear continuarão nesta quinta-feira, antes dos iranianos voltarem a Teerã.Larijani disse que as partes obtiveram um consenso em relação à proposta de Moscou de criar uma empresa mista de enriquecimento de urânio, mas o assunto precisa de um "estudo adicional de seus aspectos econômicos e jurídicos".Ao mesmo tempo, o iraniano ressaltou categoricamente que o Irã não renunciará a seu "direito soberano" de enriquecer urânio, mesmo que aceite a iniciativa russa, que foi criada para evitar suspeitas sobre o possível uso do material nuclear por Teerã para fins Bélicos.A terceira rodada de diálogos entre russos e iranianos sobre a proposta de Moscou, apoiada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), foi realizada cinco dias antes da sessão extraordinária do Conselho de Governadores da Agência, que estudará um relatório sobre o dossiê nuclear do Irã que será remetido ao Conselho de Segurança da ONU.Na rodada anterior de conversações russo-iranianas, foi obtido um princípio de acordo sobre a iniciativa de Moscou, que, no entanto, suscitou ceticismo no Ocidente e em alguns jornais russos pela desconfiança em relação ao Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.