Irã julgará viajantes americanos

Trio foi detido em 2009 ao cruzar a fronteira do país com o Iraque; mulher do grupo já foi liberada

Efe e Reuters

20 de outubro de 2010 | 08h56

Os três viajantes americanos detidos no Irã. Sarah, ao centro, já foi libertada.

 

TEERÃ - O ministro de Inteligência do Irã, Heidar Moslehi, confirmou nesta quarta-feira, 20, que os dois viajantes americanos detidos em julho do ano passado serão levados a julgamento, segundo informou a mídia local.

 

"Os dois americanos serão julgados. Passaremos todas as evidências para o Judiciário", disse o ministro à agência de notícias Isna. A data marcada para o início das audiências é 6 de novembro.

 

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse na terça-feira temer que Shane Bauer e Josh Fattal, dois dos três americanos detidos em julho de 2009 por cruzar a fronteira do Iraque com o Irã, seriam julgados em breve. A secretária, porém, expressou esperança de que eles poderiam ser libertados.

 

Os juiz responsável pelo caso, Abul Qasem Salavati, é considerado um dos mais duros do Irã. Ele participou de vários julgamentos contra pessoas acusadas de conspiração e atividades antirrevolucionárias em junho do ano passado, após as polêmicas eleições que deram a vitória ao presidente Mahmoud Ahmadinejad.

 

O advogado de defesa dos americanos, Masud Shafii, confirmou a data do julgamento. "Os três foram acusados de espionagem e entrada ilegal no país. As famílias já foram informadas", disse o representante legal referindo-se também a Sarah Shourd, a terceira detida do grupo. A americana foi liberada no mês passado.

 

Fattal e Bauer estão presos desde que foram detidos pelas autoridades iranianas na fronteira com o Iraque, na região das montanhas do Curdistão. Eles alegam ter entrado acidentalmente no território iraniano. Os EUA consideram as acusações de espionagem infundadas e pede a libertação da dupla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.