Irã: Khamenei critica 'interferência' dos EUA na Síria

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, alertou nesta terça-feira contra a "interferência" dos Estados Unidos nos assuntos internos da Síria, aliada regional de Teerã, ao mesmo tempo que disse apoiar reformas políticas para o povo sírio. Nos primeiros comentários em mais de dez meses, desde que começou a revolta contra o presidente sírio Bashar Assad, Khamenei afirmou que a posição iraniana é "rejeitar qualquer interferência dos EUA ou de outros países nos assuntos internos da Síria".

AE, Agência Estado

31 de janeiro de 2012 | 17h37

Khamenei também expressou apoio a "qualquer tipo de reforma para o povo" da Síria, de acordo com o website da televisão estatal do Irã. Os comentários de Khamenei foram feitos pouco antes de uma reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que discutirá uma resolução sobre a situação política na Síria. O texto da resolução, ao qual a agência France Presse (AFP) obteve acesso, pede a renúncia de Assad, a passagem do poder ao vice-presidente e a formação de um governo de unidade nacional.

Como aliado regional da Síria, o regime iraniano está ao lado do governo de Assad, apesar da crescente condenação internacional ao uso da força. O chefe da inteligência dos EUA, James Clapper, disse hoje que o regime de Assad deverá entrar inevitavelmente em colapso por causa dos crescentes protestos.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.