Irã legaliza canais de TV via satélite

O Parlamento iraniano, de maioria reformista, aprovou uma lei para a liberação parcial dos canais de TV estrangeiros transmitidos via satélite, a que milhões de iranianos assistem diariamente, de forma ilegal. A nova norma revoga proibição imposta em 1995 pelo próprio Parlamento, na época controlado por políticos conservadores. A entrada em vigor da liberação, no entanto, é incerta e só deve se dar a longo prazo. A lei ainda terá que ser aprovada pelo Conselho de Guardiães, a corte constitucional de maioria conservadora que, no passado, já repudiou diversas iniciativas liberalizantes dos deputados. Se a aprovação for confirmada, um comitê do governo deverá estabelecer, dentro de três meses, a quais programas estrangeiros será permitido captar. Depois, o Ministério dos Correios e Telecomunicações terá seis meses para produzir aparelhos adaptados para captar apenas os canais autorizados. Ainda não é claro o motivo da iniciativa, uma vez que antenas para captação de satélite, oficialmente proibidas, abundam nos telhados das cidades iranianas. Há tempos que não ocorrem batidas policiais para apreendê-las. Os telespectadores nem se preocupam em escondê-las durante o dia, como ocorria no passado, quando as antenas normalmente eram mantidas dentro de falsas caixas de ar condicionado. A cada noite, uma imensa platéia se dedica ao ?zapping? por entre centenas de canais, da CNN à BBC, da Al-Jazeera aos musicais e aos programas pornográficos mais apimentados. E o assunto favorito nas manhãs, nos ônibus e táxis, são as transmissões da oposição no exílio, emitidas a partir de Los Angeles (EUA).

Agencia Estado,

17 Dezembro 2002 | 17h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.