Irã liberta alpinista americana após pagamento de fiança

Sarah Shourd chegou na noite de ontem a Omã, onde foi recebida por parentes; pena de seus 2 colegas foi estendida

, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

TEERÃ

Presa havia mais de um ano sob acusação de espionagem, a alpinista americana Sarah Shourd deixou ontem o Irã após o pagamento de sua fiança - cerca de US$ 500 mil. A estudante de 31 anos, detida com dois amigos também dos EUA ao entrar em território iraniano pela fronteira com o Iraque, viajou do Irã para Omã, onde foi recebida pela mãe e um tio.

Imagens da TV iraniana mostraram Sarah embarcando no Aeroporto Imã Khomeini, em Teerã, após agradecer ao presidente Mahmoud Ahmadinejad "pelo gesto humanitário". "Estou muito agradecida e emocionada neste momento", disse às câmeras.

O procurador-geral de Teerã, Abbas Jafari Dolatabadi, afirmou à TV estatal iraniana que o decreto de prisão de Shane Bauer e Josh Fattal, os outros dois alpinistas que estavam com Sarah, foi estendido por dois meses. Os dois estão sendo mantidos na prisão de Evin, um dos principais centros de detenção de opositores do regime.

O presidente dos EUA, Barack Obama, comemorou a libertação de Sarah. "Continuaremos esperançosos de que o Irã volte a demonstrar compaixão, garantindo o retorno de Shane Bauer e Josh Fattal (os alpinistas presos com Sarah), além de todos os outros americanos desaparecidos e presos no Irã."

Disputa interna. A americana seria solta no sábado, segundo autoridades iranianas, mas a libertação foi cancelada no último minuto. O Judiciário afirmou que havia "irregularidades" no processo de soltura de Sarah.

Analistas afirmam que o vaivém em torno da libertação da americana indicaria uma disputa no próprio regime iraniano. Ahmadinejad teria intercedido, pessoalmente, para soltar a americana e aliviar a pressão internacional que atualmente pesa sobre seu governo. O chefe da Justiça iraniana, porém, é irmão de Ali Larijani, porta-voz do Parlamento e uma das principais forças reformistas.

Ahmadinejad derrotou Larijani na corrida presidencial de 2005. E a cisão entre os dois teria aumentado após os distúrbios do ano passado. / REUTERS

PARA LEMBRAR

Francesa foi libertada com Lula em Teerã

Quando visitou o Irã, em maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi agraciado com um "presente", como disseram autoridades iranianas na época: a libertação de Clotilde Reiss, pesquisadora francesa presa acusada de espionagem. O presidente Nicolas Sarkozy agradeceu o Brasil pela intermediação. Lula tentou interceder em favor dos três alpinistas americanos quando esteve com seu colega Mahmoud Ahmadinejad, mas o governo iraniano não recuou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.