Irã liberta alpinistas americanos

Presos há 2 anos sob acusação de espionagem, eles pagaram US$ 1 milhão em fiança a Teerã

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2011 | 03h01

Alpinistas americanos presos no Irã há dois anos, sob acusação de espionagem, foram libertados ontem, pondo fim a mais um capítulo das delicadas relações com os EUA. A Justiça iraniana decidiu libertar Shane Bauer e Josh Fattal da prisão de Evin por uma fiança de U$ 500 mil cada, mesmo valor pago por Sarah Shroud, que estava com eles e foi libertada em 2010.

"Foi a coisa certa a fazer. Para começar, eles não deveriam ter sido presos", disse o presidente dos EUA, Barack Obama, em Nova York. Segundo a agência estatal de notícias Irna, Bauer e Fattal deixaram Teerã na noite de ontem. Eles viajaram em um jato executivo para Muscat, capital de Omã, onde os parentes os esperavam. Omã, que mantém boas relações com os EUA e o Irã, mediou as negociações.

A notícia da libertação dos americanos foi feita uma semana depois da divulgação de informações contraditórias pelo governo iraniano sobre o futuro dos acusados. O presidente Mahmoud Ahmadinejad havia prometido para breve a libertação deles, mas foi desmentido por clérigos conservadores, evidenciando mais uma vez divisões dentro do regime. Os religiosos pareciam querer deixar claro que só eles poderiam arbitrar sobre o destino dos americanos.

À Justiça iraniana eles negaram a acusação de espionagem, argumentando que faziam uma caminhada pelas montanhas do Curdistão iraquiano, região relativamente em paz, quando avançaram sem notar sobre a fronteira do Irã. Os alpinistas foram presos em julho de 2009. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.