Irã liberta velejadores britânicos detidos no Golfo

O Irã libertou hoje os cinco velejadores britânicos detidos na semana passada. A embarcação em que eles estavam foi interceptada ao entrar acidentalmente nas águas iranianas do Golfo Pérsico. Segundo a agência estatal Irna, a Guarda Revolucionária, uma força de elite, concluiu que a "entrada ilegal" dos cinco em águas iranianas foi apenas um erro. "Após realizar uma investigação e interrogatório dos cinco velejadores britânicos, ficou claro que a entrada ilegal foi um erro", afirmou a Guarda em comunicado. O Reino Unido elogiou a conclusão do caso.

AE-AP, Agencia Estado

02 de dezembro de 2009 | 10h58

A embarcação viajava do Bahrein a Dubai, na quarta-feira passada, para uma competição. Ontem o governo iraniano chegou a afirmar que os velejadores poderiam ser processados, caso houvesse provas de que havia "más intenções" por parte deles.

A detenção ocorreu em um momento de tensão entre o Irã e as potências, incluindo o Reino Unido, pela recusa de Teerã em interromper seu programa nuclear. Várias nações suspeitam que o país persa busque em segredo fabricar armas, apesar de o governo iraniano insistir que tem apenas fins pacíficos, como a produção de energia.

O ministro das Relações Exteriores britânico, David Miliband, elogiou a libertação e disse que os cinco britânicos foram levados a águas internacionais. Também elogiou o tratamento "profissional" dados pelas autoridades iranianas ao caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.