Irã livra intelectual da pena de morte

A Suprema Corte de Justiça do Irã anuloua sentença de morte pendente contra o intelectual reformista Hashem Aghajari, emitida por um tribunal de Hamadan, no oeste do país. A informação foi divulgada pela Agência de Notícias da República Islâmica, que citou como fonte Seyed Mohammad Sajjadi, um magistrado da Suprema Corte. De acordo com ele, um novo processo deverá ser aberto em Hamadan. Aghajari foi condenado à morte por um discurso no qual apoiava a reforma do Islã tomando como modelo o protestantismo. Sua condenação, em novembro passado, provocou protestos em diversas universidades do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.