Raheb Homavandi/Reuters
Raheb Homavandi/Reuters

Irã manterá ambições nucleares, diz Ahmadinejad

Presidente do país criticou sanções importas pelos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2011 | 11h11

TEERÃ - O Irã não desistirá de suas ambições nucleares, apesar das novas sanções de alguns países ocidentais anunciadas esta semana, afirmou nesta quarta-feira, 23, o presidente Mahmoud Ahmadinejad em discurso veiculado pela televisão estatal. "A nação iraniana não recuará um centímetro e não permitirá o mínimo movimento para usurpar os direitos da nação", afirmou Ahmadinejad a uma multidão na cidade de Pakdasht, a leste de Teerã.

Ahmadinejad criticou Estados Unidos, Reino Unido e Canadá que, na segunda-feira, emitiram sanções contra o setor financeiro do Irã. Segundo ele, Teerã "não precisa de uma bomba atômica". O governo iraniano sempre garantiu que não deseja construir armas atômicas, mas apenas usar a tecnologia nuclear para fins como a produção de energia. Já potências lideradas pelos EUA afirmam que o Irã busca secretamente essas armas.

"Como podemos provar algo que não existe?", questionou Ahmadinejad. Um porta-voz da chancelaria chinesa disse nesta quarta-feira que mais sanções ao Irã apenas exacerbarão a situação e intensificarão o confronto.

Já um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano negou nesta quarta-feira que o regime tenha relação com armas químicas escondidas na Líbia, informou a imprensa estatal. Segundo o porta-voz, o Ocidente deveria investigar seu próprio envolvimento com relação a essas armas.

No domingo, o jornal Washington Post citou um funcionário norte-americano dizendo que armas feitas pelo Irã foram descobertas nas últimas semanas na Líbia. O porta-voz iraniano lembrou que o país foi vítima de armas químicas, quando gás mostarda foi usado contra suas tropas pelo Iraque na guerra entre as duas nações (1980-88). O Irã acusa o Ocidente de ter enviado armas químicas a Bagdá.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Irã nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.