Irã modera tom sobre acusações dos EUA e programa nuclear

O Irã moderou o tom de seus discursos nesta segunda-feira em relação a presença de tropas americanas do Iraque e também sobre o seu programa de enriquecimento de urânio. As declarações foram apelos de paz para a região.O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse na segunda-feira que seu país "evita qualquer conflito" e que a paz retornará ao Iraque quando as forças dos Estados Unidos e de outros países forem embora. Ahmadinejad falou em entrevista em Teerã com o canal de televisão norte-americano ABC. "Nós evitamos qualquer tipo de conflito e qualquer tipo de derramamento de sangue", disse ele. "Somos contra qualquer tipo de conflito e também contra a presença de forças estrangeiras no Iraque, e é por isso que somos contra a presença dos norte-americanos". "Dizemos a eles para deixarem o país, e qualquer outro estrangeiro deveria deixar o país e não deveria haver estrangeiros no Iraque, e aí você verá que haverá paz". Ahmadinejad minimizou as acusações dos EUA de que o Irã está alimentando a violência no Iraque ao fornecer armas aos militantes. Ele disse que os EUA estavam tentando esconder suas falhas e a derrota no Iraque ao acusarem outros.Moderação em planos nucleares O Irã moderou nesta segunda-feira o tom sobre as exigências dos países ocidentais a respeito de seu polêmico programa nuclear e disse estar disposto a discutir tudo, incluindo o enriquecimento de urânio, o que até agora tinha se negado a fazer."O Irã considera todos os assuntos passíveis de estudo, inclusive o da suspensão (do enriquecimento de urânio), em meio às negociações", disse hoje em entrevista coletiva o porta-voz do Ministério de Exteriores, Ali Hosseini, citado pela agência Isna.O porta-voz iraniano ressaltou que "todas as propostas podem ser estudadas sempre e quando garantirem os interesses do Irã"."O que foi colocado pelos suecos (em referência à última proposta, apresentada pela Suécia) não foi detalhadamente esclarecido, mas caso levem em conta os interesses do Irã e garantam seus interesses se pode estudá-lo durante o diálogo", disse.As afirmações de Hosseini foram feitas horas depois de a União Européia (UE) ter anunciado sanções contra o Irã por seu programa nuclear e que a Comissão Européia (CE, executivo do bloco) deve concretizar ainda este mês.O porta-voz do Ministério de Exteriores iraniano também se referiu às acusações dos Estados Unidos sobre o envolvimento do Irã nos atentados do Iraque, acusações que qualificou de "infundadas".As afirmações dos EUA, "especialmente durante os últimos meses, sobre a interferência do Irã na insegurança reinante no Iraque, são infundadas e (os EUA) nem sequer pôde oferecer documentos ao Congresso", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.