Irã não cederá seus direitos sob pressão, diz Ahmadinejad

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quinta-feira que não cederá em relação aos seus direitos ?sob pressão?. A declaração, feita em um discurso público e veiculada pela TV estatal iraniana, pode ser vista como um indicador de que o país não acatará o prazo dado pelo Conselho de Segurança da ONU para que pare de enriquecer urânio. Segundo a resolução aprovada pelo Conselho, o prazo termina nesta quinta-feira (31).?A nação iraniana nunca violou os direitos de outras nações em toda a sua história. Mas todos devem saber que a nação iraniana não vai ceder um milímetro de seus direitos sob pressão e intimidação?, afirmou Ahmadinejad. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) deve anunciar ainda nesta quinta formalmente para o Conselho o que foi feito (ou decidido) pelo Irã.Caso seja confirmado que de fato o Irã não aceita os termos da resolução da ONU, os membros do Conselho de Segurança devem começar a debater o que fazer. De acordo com o embaixador norte-americano na ONU, John Bolton, na semana que vem os integrantes do Conselho devem discutir uma nova resolução que pode estabelecer sanções.?Esta tem sido a nossa intenção por meses e continua sendo a nossa intenção. Será nossa intenção no dia primeiro de setembro, se os iranianos não atenderem a resolução?, disse o americano.O porta-voz do departamento de Estado americano, Sean McCormack, disse que o subsecretário de Estado Nicholas Burns e autoridades da Grã-Bretanha, França, Rússia, China e Alemanha se encontrariam na Europa no começo da próxima semana para discutir o assunto.McCormack disse que os Estados Unidos estão prontos para agir imediatamente, mas reconheceu que haverá um período de diplomacia para chegar a um acordo. Os Estados Unidos têm dito que os iranianos querem desenvolver armas nucleares, o que tem sido negado por Teerã.No sábado, o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad inaugurou a nova fase de um projeto de produção de água pesada em Arak. Reatores de água pesada produzem plutônio, que pode ser usado como alternativa para dispositivos nucleares. Na ocasião, Ahmadinejad disse que o Irã nunca abandonaria seu programa nuclear, mas que armas atômicas não são o seu objetivo.?Basicamente, não se fala em armas nucleares?, disse ele. ?Não somos uma ameaça a ninguém, nem mesmo ao regime sionista que é definitivamente um inimigo do povo na região.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.