Irã não enviará mais bolsistas ao Canadá, EUA e Reino Unido

O governo do Irã disse que não enviará mais estudantes com bolsas escolares para os Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. O motivo é que os iranianos são proibidos cursar matérias que envolvam assuntos sobre ciência nuclear nestes países, segundo informações de uma rádio estatal nesta quarta-feira, 28.O Ocidente teme que o Irã, que reafirmou que não irá desistir de seu polêmico programa nuclear, construa armas nucleares. Teerã, no entanto, responde dizendo que a tecnologia está sendo desenvolvida apenas para geração de eletricidade. "Pelo fato de estes países não aceitarem estudantes iranianos em matérias da tecnologia moderna, como ciências nucleares, o Ministério da Ciência não mandará mais bolsistas", disse o vice-ministro da Ciência, Mahmoud Mollabashi."Quando estes países não aceitam estudantes para estas matérias, não há necessidade de enviá-los mais", disse Mollabashi, declarando que de agora em diante quem quiser estudar nos EUA, Canadá e Reino Unido deve ir por sua própria conta. A ONU impôs sanções econômicas contra o programa nuclear do Irã em dezembro de 2006 e Teerã continua com enriquecimento de urânio após ignorar o prazo imposto pela comunidade internacional para que o país abandonasse o procedimento.Os Estados Unidos pedem uma multa mais alta ao Irã, com apoio do Reino Unido, França e Alemanha. No entanto, Mollabashi não comentou sobre estudantes com bolsas escolares na França e na Alemanha.As relações do Irã com o Canadá foram comprometidas após a morte em 2003 do foto jornalista Zahra Kazemi que possuía dupla nacionalidade. A detenção de um escritor também de dupla nacionalidade agravou a relação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.