Irã não levou a sério reunião em Genebra, acusa Rice

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, acusou hoje o Irã de não ter agido seriamente durante as negociações realizadas no sábado em Genebra e ameaçou buscar novas sanções contra a república islâmica por causa de seu programa nuclear. Rice acusou o Irã de ter enrolado os enviados dos EUA e de mais cinco potências nucleares. A reunião contou com a presença do subsecretário de Estado americano William Burns. Rice falou sobre o assunto ao desembarcar hoje em Abu Dhabi para um encontro com representantes de países do Golfo Pérsico. De acordo com Rice, os seis países engajados nas negociações com Teerã falavam sério quanto a um prazo de duas semanas para que a república islâmica congelasse programas suspeitos e começasse a negociar. Em caso contrário, reforçou ela, o Irã será alvo de novas sanções internacionais.Segundo Rice, o negociador-chefe iraniano, Saeed Jalili, não deu uma resposta coerente aos representantes de Alemanha, China, EUA, França, Grã-Bretanha e Rússia com ele reunidos no sábado em Genebra. "Ao contrário disso, o que saiu não era sério. Chegou a hora de os iranianos darem uma resposta séria. Eles não podem chegar e ficar com conversinha mole sobre cultura. Eles têm de tomar uma decisão. As pessoas estão cansadas dos iranianos e de suas táticas evasivas."A reação de Rice foi muito mais dura do que a do chefe de política externa da União Européia (UE), Javier Solana, que limitou-se a lamentar o fato de o Irã "não ter respondido todas as questões".Os Estados Unidos e alguns de seus aliados acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega, assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica e já declarou em diversas ocasiões que não pretende interromper suas atividades nucleares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.