Irã não se manifesta sobre detenção de britânicos no Golfo

O governo iraniano não se referiu de forma oficial a respeito das afirmações sobre a detenção de 15 fuzileiros navais britânicos pela Marinha do Irã, nas águas do Golfo Pérsico, nesta sexta-feira, 23. De acordo com a BBC, acredita-se que não tenha ocorrido ainda uma resposta oficial de Teerã porque prédios públicos e ministérios estão fechados, por conta de um feriado local.Os meios de comunicação iranianos, incluindo a agência Irna e a televisão estatal, deram a informação citando apenas o Ministério de Assuntos Exteriores britânico, que afirmou ter convocado o embaixador iraniano em Londres para exigir a libertação imediata dos militares.Segundo o Ministério da Defesa britânico, os fuzileiros navais foram detidos em águas territoriais iraquianas quando realizavam operações rotineiras de marinha mercante em apoio ao governo iraquiano. Eles foram conduzidos até as águas iranianas.A Marinha iraniana realiza nesta sexta-feira manobrasmilitares no sul da área onde se supõe que os fuzileiros britânicos foram detidos. Nesses exercícios, que serão realizados até 30 de março em frente à costa da província de Bushehr, as forças iranianas "mostrarão sua capacidadedefensiva" para proteger o litoral do país, segundo o comandante da Força Naval, general Sayad Koyki. Na região, o Irã constrói uma usina nuclear.A detenção dos fuzileiros britânicos ocorre em um momento de grande tensão entre o Irã e a comunidade internacional, especialmente Estados Unidos e Reino Unido, devido às atividades nucleares iranianas.O ministro de Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, acusou o Reino Unido esta semana de "sabotar" os esforços para encontrar uma saída pacífica para o caso do programa atômico iraniano, e afirmou que seu país "responderá a essa insolência britânica".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.