Irã nega ter dado apoio militar ao Hezbollah

O governo do Irã negou ter dado apoio militar ao movimento xiita libanês Hezbollah, acusação feita por Israel, e disse nesta sexta-feira que sua ajuda ao grupo se limita às áreas humanitárias, políticas e diplomáticas. "Não temos nada a esconder", sustentou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Hamid Reza Asefi, em declarações veiculadas pela televisão oficial. O porta-voz disse que "a ajuda da República Islâmica ao Hezbollah é humanitária, política e diplomática". Garantiu ainda que "se tivesse havido um apoio militar, o teríamos anunciado, e se esse apoio existisse, Israel teria perdido há muito tempo a guerra". Um grupo de iranianos que queria lutar ao lado do grupo libanês afirmou que Teerã impediu que eles deixassem o país. Os 120 iranianos foram impedidos de cruzar a passagem de Bazargan, perto da fronteira leste com a Turquia. Eles planejavam chegar ao Líbano através da Turquia e da Síria. Oficiais do governo iraniano não comentarem as afirmações.O governo turco não afirmou se irá permitir que "aspirantes a guerrilheiros" atravessem seu território, contudo, iranianos têm o direito de entrar na Turquia por três meses como turistas sem a necessidade de visto.O presidente Bush criticou o papel do Irã no conflito no Líbano na quinta-feira, afirmando que o país tem conexões com o Hezbollah, e que é tempo de "o mundo confrontar este perigo". Israel e Estados Unidos acusam o Irã de fornecer armamento ao Hezbollah. O embaixador dos EUA na ONU, John Bolton, alegou que o Irã doa US$100 milhões por ano ao grupo, e acrescentou que como financiadores eles (Teerã) "ditam o tom". As acusações foram negadas em outras oportunidades pelo governo iraniano. O Irã enfrenta também uma briga em torno de seus programas nucleares, na qual os Estados Unidos e outras potências ocidentais pedem a suspensão das atividades que consideram, sem provas, orientadas a fins militares. O governo israelense pediu aos Estados Unidos que coloquem fim aos planos nucleares iranianos de qualquer forma, mas Teerã advertiu em mais de uma ocasião que Israel é o país que possui armas nucleares na região. Texto atualizado às 16h57

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.