Irã nega ter organizado atentado na Argentina

- O governo do Irã rechaçou hoje (07) asacusações feitas por um de seus ex-agentes de inteligência,segundo as quais Teerã teria planejado um atentado contra umcentro judaico na Argentina em 1994. Ontem, Abdolghassem Mesbahi disse a um tribunal de BuenosAires que o Irã havia organizado o atentado contra a AMIA, noqual morreram 85 pessoas e mais de 200 ficaram feridas. Otestemunho foi feito através de uma videoconferência da Alemanha onde o iraniano está sob custódia da embaixada dos EUA. O porta-voz da Chancelaria iraniana, Hamid Reza Asefi, negouhoje as acusações de Mesbahi e disse que o juiz que preside ainvestigação atua por motivos políticos. Segundo Asefi, as acusações "são mentiras espalhadas porcírculos sionistas e pelo juiz da causa com o objetivo deencobrir um complô político contra a República Islâmica". Mesbahi fugiu do Irã há sete anos e vive atualmente exiladona Alemanha. De acordo com a imprensa argentina, ele disse que oatentado foi "organizado e executado" pelo Irã. Com base em um testemunho prévio de Mesbahi, um juizargentino ordenou em março a prisão de quatro diplomatasiranianos que trabalhavam em Buenos Aires durante o atentado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.