Irã oferece visita a terreno de antiga instalação nuclear

Teerã ofereceu à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) a possibilidade de inspecionar o terreno de uma antiga instalação nuclear suspeita de ter enriquecido urânio, dias antes de uma reunião crucial sobre a possível denúncia do Irã ao Conselho de Segurança da ONU. Fontes diplomáticas próximas à AIEA confirmaram à EFE, em Viena, a oferta feita pelo Irã, mas não quiseram comentar se a visita já aconteceu.O subdiretor da AIEA para Salvaguardas (controle), o finlandês Olli Heinonen, está desde quarta-feira passada em Teerã para se reunir com os responsáveis pelo programa nuclear do Irã. "A promessa de poder visitar Lavizan (nos arredores de Teerã) foi a condição para que Heinonen fizesse essa viagem", disse a fonte consultada na capital austríaca, sede da AIEA. Com base em imagens por satélite, os EUA denunciaram que o Irã derrubou - no início de 2004 - todos os edifícios desse complexo antes de poder ser investigado pela AIEA.O órgão nuclear da ONU quer obter mais amostras ambientais para determinar se houve experimentos com urânio enriquecido em Lavizan. O material pode ser usado em aplicações tanto civis como militares.A proposta do Irã vem a público pouco antes de uma reunião urgente do Conselho de Governadores da AIEA, que acontece na próxima quinta-feira, em Viena. Segundo diplomatas consultados pela EFE, Teerã tenta uma nova estratégia para evitar a denúncia ao Conselho de Segurança da ONU.Os EUA e a União Européia (UE) suspeitam que o Irã pretende usar seus conhecimentos nucleares para construir armamento atômico. No entanto, Teerã nega estas acusações e afirma que seu programa nuclear tem objetivos apenas pacíficos, como a geração de energia elétrica.Em setembro do ano passado, o Conselho de Governadores da AIEA - que tem 35 países - constatou que o Irã violara suas obrigações contraídas em acordos de salvaguarda (controle), e por isso, segundo o estatuto do órgão, deveria ser alvo de uma denúncia no Conselho de Segurança da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.