Irã pagará agências para atrair turistas ocidentais

O Irã oferecerá incentivos financeiros para que agências de viagens encorajem turistas ocidentais a visitarem o país, dando um prêmio para os visitantes americanos, informou a agência de notícias oficial iraniana. A liderança política da República Islâmica tem tentado mostrar aos americanos comuns que o impasse sobre as ambições nucleares do Irã é com o presidente George W. Bush, e não com os cidadãos. A mais recente iniciativa vem no momento em que o Conselho de Segurança (CS) da ONU delibera sobre uma resolução que irá impor sanções ao Irã devido a seu polêmico programa nuclear. "O departamento de turismo do Irã pagará US$ 20 por pessoa para os agentes que atraírem turistas europeus ou americanos para o país", informou a Agência Islâmica de Notícias, citando o vice-presidente do departamento, Mohammed Sharif. Visitantes de outros países renderiam US$ 10 cada aos agentes de viagens. Na semana passada, o fervoroso presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, expressou oposição a um projeto de lei que exigiria a retirada da impressão digital de turistas americanos que chegassem ao Irã. Em sua última tentativa em agradar cidadãos americanos, em janeiro, Ahmadinejad propôs o restabelecimento de vôos comerciais diretos entre o Irã e os EUA, cancelados há mais de 25 anos. Os EUA e o Irã não mantêm relações diplomáticas desde 1979, quando militantes iranianos atacaram a Embaixada Americana em Teerã. A atmosfera entre os dois países melhorou relativamente sob a administração do ex-presidente Mohammad Khatami, que encorajou um intercâmbio cultural e esportivo entre os dois países. Mas, com os ataques de 11 de Setembro, as relações voltaram a se deteriorar, uma vez que Bush colocou o Irã no "eixo do mal".

Agencia Estado,

01 Novembro 2006 | 18h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.