Irã pede a clérigos mais tolerância à internet

O presidente do Irã, Hassan Rohani, pediu aos clérigos do país, nesta segunda-feira, que sejam mais tolerantes com a internet e as novas tecnologias, que costumam receber muitas críticas dos líderes islâmicos mais conservadores.

Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2014 | 16h32

Rouhani fez o apelo durante encontro com os religiosos em Teerã, onde ele disse que a internet é uma importante fonte de conhecimento e inspiração para estudantes e especialistas. "Nos dias de hoje, quem não está conectado com a rede, não pode ser chamado de estudante ou de especialista. Não podemos fechar as portas do mundo para as gerações mais jovens", disse o presidente, em discurso transmitido pela emissora de televisão estatal.

Rouhani, um presidente relativamente mais moderado e eleito no ano passado, prometeu durante sua campanha que expandiria o acesso à internet e aos meios de comunicação, mas tem encontrado resistência entre os mais conservadores, que acreditam que novas tecnologias, como os smartphones, abrem espaço para imagens imorais.

Mesmo assim, nas últimas semanas o governo tem permitido que mais operadoras iranianas ofereçam os serviços de internet com 3G. Algumas redes sociais como o Facebook, o Twitter e o Youtube ainda são proibidas no país, mas os mais jovens têm usado servidores e soluções alternativas para driblar o controle. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Irãpresidenteinternetclérigos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.