Irã pede fiança de US$ 500 mil para libertar americana

O promotor iraniano Abbas Jafari Dowlatabadi disse hoje que as autoridades vão libertar a norte-americana Sarah Shourd sob fiança de US$ 500 mil. O país havia informado anteriormente que libertaria Shourd ontem. Ela foi detida com dois amigos, Shane Bauer e Josh Fattal, na fronteira entre o Irã e o Iraque no dia 31 de julho de 2009 e o grupo foi acusado de espionagem.

AE-AP, Agência Estado

12 de setembro de 2010 | 10h21

"Baseado em relatórios e com a aprovação de um juiz sobre a doença de Shourd, sua prisão foi convertida numa fiança de US$ 500 mil e, se a quantia for depositada, ela poderá ser libertada", informou a agência oficial Irna, citando uma declaração de Dowlatabadi. O promotor disse que a fiança não impedirá Shourd de deixar o país, embora seu caso vá continuar no Judiciário juntamente com o de seus dois amigos, que permanecem detidos.

A mãe de Shourd disse que sua filha teve tratamento médico negado para seus sérios problemas de saúde, dentre eles um caroço no seio e células pré-cancerosas na região cervical.

Masoud Shafiei, advogado iraniano de Shourd, reuniu-se hoje com os três norte-americanos na prisão de Evin, em Teerã, e disse esperar que ela seja libertada nos próximos dois ou três dias. Shafiei afirmou que a embaixada da Suíça em Teerã está tomando as providências para que a fiança de US$ 500 mil seja paga. A embaixada suíça representa os interesses dos Estados Unidos no Irã, porque os dois países não têm relações diplomáticas diretas. "Os três estão bem e eu estive com eles por três horas", disse Shafiei, que também declarou ter esperanças que "Shourd irá para casa em dois ou três dias".

Tudo o que sabemos sobre:
Irãamericanafiança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.