Irã pede fim de combates no Iraque e diz que eles ajudam EUA

O Irã pediu na sexta-feira um fim para oscombates entre as forças do governo do Iraque e os militantesxiitas, para que não haja nenhum "pretexto" para as tropasnorte-americanas ficarem no Iraque. O primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, ele próprioum xiita, lançou nesta semana uma ofensiva contra a milíciaExército Mehdi na cidade de Basra, no sul do Iraque. Oscombates se espalharam e expuseram um profundo racha entre amaioria xiita no Iraque. "A República Islâmica do Irã não considera os recentesconflitos no Iraque como sendo de interesse do povo daquelepaís, e pede um fim rápido para as lutas", disse o porta-voz doMinistério das Relações Exteriores iraniano, Mohammad AliHossein. Falando à agência de notícias Irna, ele pediu "acontinuação do diálogo para encontrar maneiras de estabelecer apaz, a estabilidade e a segurança". Ele acrescentou que, ao evitar os embates, "o povoiraquiano afasta qualquer pretexto para a permanência ilegaldos ocupantes". O Irã, majoritariamente xiita, viu sua influência crescerno Iraque desde a invasão liderada pelos Estados Unidos, em2003, que derrubou o inimigo de Teerã, o ex-presidenteiraquiano Saddam Hussein. O Irã pede com frequência que astropas norte-americanas deixem o Iraque. (Reportagem de Hashem Kalantari e Hossein Jaseb)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.