Irã pede reinício das negociações sobre programa nuclear

O Irã fez nesta quarta-feira um pedido formal para que seja fixada uma data para o reinício das negociações com as seis potências sobre o controverso programa nuclear iraniano. O negociador nuclear da república islâmica, Saed Jalili, enviou uma carta à chefe de política externa da União Europeia, Catherine Ashton, na qual afirma que deseja ver "representantes de ambas as partes em contato para marcar uma data e lugar para uma nova rodada de negociações", informou a agência estatal de notícias iraniana Irna.

AE, Agência Estado

14 de março de 2012 | 14h28

Ashton representa o chamado 5+1, grupo formado pelos cinco representantes permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia e China, mais a Alemanha. Na semana passada, Ashton declarou que o grupo estava pronto "a retomar as negociações com o Irã sobre a questão nuclear", após o Irã ter aceito em 14 de fevereiro uma proposta que ela fez em outubro do ano passado, informa a agência France Presse (AFP).

Na carta enviada recentemente, Jalili disse que o Irã está pronto a negociar novamente e insistiu na "necessidade de que ocorram negociações sérias e construtivas, sem pré-condições e com o objetivo de obter uma cooperação de longo prazo".

Jalili também elogiou a postura de Ashton, "de respeitar os direitos de que a República Islâmica do Irã use a energia nuclear para finalidades pacíficas, de acordo com o Tratado de Não Proliferação Nuclear".

A última rodada de negociações entre o Irã e o 5+1 chegou ao impasse em Istambul em janeiro de 2011. Diplomatas ocidentais disseram que as negociações chegaram ao colapso por causa da insistência do Irã em discutir outros assuntos ao invés do programa nuclear iraniano.

O Irã reafirma que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos. O governo iraniano afirmou hoje que prefere que as negociações ocorram novamente em Istambul.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.