Irã permite visita de diplomatas britânicos a militares detidos

O governo iraniano permitirá que representantes do Reino Unido visitem os 15 militares britânicos detidos no Golfo Pérsico, segundo informou nesta quinta-feira, 29, o ministro de Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, citado pela imprensa iraniana.Em declarações em Riad, onde participa da cúpula da Liga Árabe, Mottaki disse que para resolver a crise o Reino Unido deverá admitir que seus militares estavam em águas iranianas quando foram detidos."Admitir o erro facilitará a solução do problema", disse oministro, acrescentando que "estão em andamento as medidas para preparar um encontro" dos representantes de Londres com os militares detidos.O porta-voz do Ministério, Mohammad Ali Hosseini, confirmou nesta quinta-feira que Faye Turney, a única mulher do grupo, "será solta em breve".Hosseini e Mottaki tinham anunciado na quarta-feira, 28, que Turney, que pediu desculpas na televisão iraniana por ter entrado nas águas territoriais do país, seria libertada "em um ou dois dias".Águas iraquianasO Reino Unido afirma que seus militares estavam em águasiraquianas. Mas o governo iraniano garante que a investigação técnica do caso demonstra que eles se encontravam "plenamente" em águas iranianas quando foram capturados, segundo fontes oficiais.Segundo o Irã, os militares tinham equipamentos de posicionamento por satélite mostrando claramente que eles tinham abandonado as águas iraquianas e ultrapassado em cerca de 500 metros a fronteira iraniana no Golfo Pérsico.De acordo com as conclusões da investigação oficial, cada um dos militares estava equipado com um aparelho GPS no momento da captura."Do ponto de vista técnico, tudo isto pode ser provado e asautoridades britânicas foram informadas", disse a fonte oficial, acrescentando que "alguns dos militares britânicos confirmaram que tinham sido detidos em águas iranianas e pediram desculpas".Relações suspensasAs relações do Irã com o Reino Unido "estavam suspensas há muito tempo" devido às políticas "pouco amistosas" do governo britânico, disse nesta quinta-feira um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores iraniano, em declarações divulgadas pela imprensa do país.O porta-voz iraniano respondeu assim ao anúncio feito na quarta-feira, 28, pela ministra de Relações Exteriores do Reino Unido, Margaret Beckett, na Câmara dos Comuns. Ela anunciou a suspensão de qualquer contato com o Irã que não se relacione com a libertação dos 15 militaresbritânicos capturados na sexta-feira passada."Cheguei à conclusão de que devemos concentrar todos os nossos esforços na resolução deste caso", ressaltou a chefe da diplomacia britânica.O porta-voz iraniano declarou que os contatos com o Reino Unido estavam suspensos há tempo, "principalmente por causa dos esforços britânicos para levar o programa nuclear do Irã ao Conselho de Segurança da ONU"."Não há evidências de mudança nas atuais relações bilaterais", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.