Irã planeja construir 4 reatores mais potentes

Teerã também diz que ampliará enriquecimento de urânio; Casa Branca estende sanções contra banco estatal e empresas

, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2010 | 00h00

TEERÃ

O Irã intensificou ontem o desafio às pressões contra o seu programa nuclear, anunciando planos para aumentar o enriquecimento de urânio e a construção de quatro novos reatores de pesquisas científicas, um deles mais potente do que o atualmente em funcionamento em Teerã. A medida coincidiu com o anúncio dos EUA de novas sanções unilaterais contra a nação persa.

Há uma semana, a ONU aprovou a quarta rodada de sanções econômicas contra o Irã, principalmente contra a Guarda Revolucionária iraniana. A série de declarações provocadoras do governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad podem levar a mais pressões econômicas contra a República Islâmica.

Segundo o vice-presidente e chefe do programa nuclear iraniano, Ali Akbar Salehi, o Irã planeja construir novos reatores de pesquisa médica para transformar-se num exportador de medicamentos para o combate ao câncer para os países islâmicos e regionais. "Estamos preparando a construção de um reator mais potente do que o de Teerã para produzir radioisótopos e ele começará a funcionar em breve", declarou Salehi.

O chefe do programa atômico disse que o projeto será concluído até o final do ano e serão necessários outros dois anos para construí-lo. Salehi ainda garantiu que o Irã possui tecnologia para produzir combustível suficiente para os reatores e o primeiro deles deve iniciar as operações ainda neste ano.

Teerã dispõe atualmente de um reator de pesquisa nuclear de 5 megawatts, construído com tecnologia americana antes da Revolução Islâmica de 1979. O país iniciou em fevereiro a produção de urânio enriquecido a 20% para fabricar combustível para seu reator de pesquisa. O anúncio desatou uma nova crise com a comunidade internacional, que culminou na quarta rodada de sanções da ONU.

Casa Branca. O Departamento do Tesouro dos EUA anunciou ontem a ampliação das sanções ao Irã, de acordo com as restrições aprovadas na semana passada. A medida inclui um banco estatal, quatro entidades e dois indivíduos vinculados à Guarda Revolucionária. A lista inclui ainda 90 barcos usados pela Companhia Nacional de Transporte Marítimo do Irã e 22 empresas de petróleo, energia e seguros com sede dentro e fora do Irã. O secretário do Tesouro, Timothy Geithner, prometeu que mais restrições estão a caminho. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.