Irã pode obter energia nuclear sem ajuda externa

O líder supremo da República Islâmica deIrã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta quarta-feira que o país não precisa deajuda externa para obter energia nuclear, segundo a agência localIsna. "Ter tecnologia nuclear é um dos grandes indícios dedesenvolvimento no mundo e a República Islâmica do Irã é capaz deobter este direito para seu povo sem fazer caso aos demais e semnecessidade de estender a mão para ninguém", disse Khamenei, emdiscurso pronunciado em Semnan, a leste de Teerã. Em discurso diante de "dezenas de milhares de pessoas", segundo aagência, Khamenei acrescentou que o governo dos Estados Unidos tentacriar a falsa impressão de que o mundo está contra o direito nuclearIraniano. "No entanto, além dos povos, os mais de 150 países do Movimentode Países Não-Alinhados, a Organização da Conferência Islâmica eoutros organismos estão a favor de romper o monopólio internacionalda energia nuclear e louvam o povo iraniano por seus esforços paraobter este direito", acrescentou. O líder máximo iraniano afirmou que, "apesar da pomposapropaganda" do Ocidente, dos inimigos do Irã, e entre eles osEstados Unidos, são mais fracos que uma década atrás. Khamenei encerrou seu discurso afirmando que o povo iranianodemonstrou que a "democracia religiosa" é a verdadeira democracia eque o povo dos Estados Unidos tem direito a uma boa vida, o que seugoverno tem que conseguir através "do esforço" e não mediante "aocupação (militar) de lugares sensíveis do mundo". Rússia rejeita sanções A Rússia quer derrubar as demandas ocidentais para que o Irã pare de trabalhar em um reator que possa produzir plutônio e que permita inspeções da ONU mais incisivas em seu programa nuclear, aumentando o impasse dentro do Conselho de Segurança sobre como sancionar o Irã, segundo documento disponibilizado nesta quarta-feira à Associated Press.O documento é composto por proposta de emendas por parte dos russos para o rascunho de resolução do Conselho de Segurança, criado pelos EUA e seus aliados europeus, e não faz nenhuma referência à instalação nuclear de Bushehr, construída com ajuda da Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.