Irã pode ter fraudado foto de mísseis, diz especialista

O especialista em defesa Mark Fitzpatrick, do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, disse hoje que "aparentemente" o Irã falsificou fotografias do teste de mísseis que aconteceu ontem e exagerou a capacidade ofensiva das armas. Teerã testou ontem nove mísseis - incluído um Shahab/3, que segundo o governo iraniano é capaz de atingir Israel.As fotografias publicadas no website da Guarda Revolucionária do Irã mostraram quatro mísseis decolando de um local no deserto. Mas um deles, aparentemente, foi adicionado à fotografia, com nuvens de poeira e caudas de fumaça dos lançamentos de dois dos outros foguetes coladas na montagem do quarto foguete.Após ver a fotografia, Fitzpatrick disse: "É muito provável que o Irã tenha falsificado a foto para cobrir o que parece ter sido o fracasso do lançamento do quarto foguete." Uma fotografia da Associated Press feita quase no mesmo momento, mas distribuída só hoje, mostra os três foguetes subindo e um quarto foguete na plataforma de lançamento, no que aparentemente foi um fracasso do lançamento do projétil. O canal estatal do Irã Al-Alam disse que os mísseis testados pela Guarda Revolucionária incluem o Shahab/3, capaz de carregar um explosivo de uma tonelada e ter autonomia de 2,200 quilômetros. Mas Fitzpatrick, um ex-oficial do Departamento de Estado, disse que "em termos de capacidade, eles afirmam que o Shahab/3 pode viajar 2 mil quilômetros transportando um explosivo de uma tonelada. Isso é muito improvável. O Shahab/3, normalmente, tem autonomia de 1.300 quilômetros. Para ter autonomia de 2 mil quilômetros, só se o foguete transportar um explosivo bem mais leve."Segundo Fitzpatrick, é "típico do Irã exagerar os feitos dos seus mísseis e do seu programa nuclear." As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.