Irã pretende atacar a embaixada dos EUA

Os Estados Unidos interceptaram uma ordem do Irã a militantes xiitas no Iraque para atacar a embaixada norte-americana em Bagdá caso a intervenção militar na Síria realmente aconteça, afirmaram autoridades, em meio a uma variedade crescente de ameaças de represália em toda a região.

AE, Agência Estado

05 de setembro de 2013 | 22h25

A mensagem iraniana, interceptada nos últimos dias, partiu de Qasem Soleimani, comandante da Guarda Revolucionária iraniana e era destinada às milícias xiitas no Iraque, segundo autoridades norte-americanas. Na mensagem, Solemiani pede que os grupos xiitas estejam preparados para responder à uma ataque militar norte-americano na Síria. Os xiitas iraquianos são simpatizantes do regime de Bashar Assad e se opõem aos possíveis ataques na Síria.

Segundo as autoridades dos EUA, a embaixada do país em Bagdá era um alvo provável dessa retaliação.

Oficiais militares norte-americanos tentam prever o leque de possíveis respostas da Síria, Irã e seus aliados. Autoridades dos EUA disseram que estão em estado de alerta em relação a frota de pequenos barcos do Irã no Golfo Pérsico, onde navios de guerra norte-americanos estão posicionados. O governo dos EUA também teme que o Hezbollah poderia atacar a embaixada do país em Beirute.

Os Estados Unidos posicionaram recursos militares na região para uma possível reação à represálias em função do ataque na Síria. Entre os recursos, estão incluídos um porta-aviões no Mar Vermelho e um navio anfíbio no Mediterrâneo Oriental, o que ajudaria com qualquer evacuação.

Os militares norte-americanos também planejam outras estratégias caso seja necessário evacuar os postos diplomáticos.

O Departamento do Estado dos EUA emitiu um novo alerta nesta quinta-feira contra viagens não essenciais ao Iraque, citando a atividade terrorista. No início deste ano , um comunicado afirmou que a violência contra os norte-americanos americanos tinha diminuído. Essa garantia foi retirada recentemente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
euairãsíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.