Irã proíbe acesso ao Facebook antes das eleições do dia 12

Medida teria sido tomada para evitar que oposicionista faça campanha pelo site.

BBC Brasil, BBC

23 de maio de 2009 | 22h12

O governo iraniano proibiu o acesso ao site de relacionamento social Facebook, disse neste sábado a agência de notícias estatal do país, a ILNA.

A agência sugere que a medida foi tomada para impedir que o candidato reformista, Hossein Mousavi, use o site para fazer campanha.

Sua página no site tem cerca de 5 mil simpatizantes.

O Facebook que afirma ter 175 milhões de usuários em todo o mundo, disse lamentar o ocorrido.

Concorrente

O governo iraniano ainda não comentou o fato.

"Acesso ao site Facebook foi proibido vários dias antes das eleições presidenciais", disse a agência. O pleito ocorre dia 12 de junho.

"De acordo com alguns usuários da internet, o site foi proibido porque simpatizantes de Mousani estavam usando o Facebook para divulgar melhor as posições do candidato", prosseguiu a nota.

Mousavi, um ex-premiê até 1989 quando o cargo foi extinto, é visto como um forte candidato à presidência. O atual mandatário, Mahmoud Ahmadinejad, tenta a reeleição. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.