Irã proíbe jornal com referência a Charlie Hebdo

Autoridades judiciais do Irã proibiram a circulação de um jornal por ter publicado uma manchete de capa supostamente mostrando apoio à publicação satírica francesa Charlie Hebdo. Mohammad Ghoochani, editor-chefe do diário Mardom-e-Emrooz, é citado pela agência semioficial de notícias Tasnim, dizendo que o periódico foi fechado por ter publicado uma matéria sobre o Charlie Hebdo.

AE, Estadão Conteúdo

17 de janeiro de 2015 | 16h49

O jornal teria mostrado o ator norte-americano George Clooney dizendo: "Je suis Charlie", frase que ficou famosa após o ataque contra a publicação francesa na semana passada, que deixou 12 mortos. O Irã tem criticado o Charlie Hebdo por publicar charges do profeta Maomé, mas também condenou o ataque contra o jornal francês por parte de extremistas islâmicos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãjornalCharlie Hebdo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.