Irã propõe trocar material nuclear na Turquia

A Turquia pode ser uma via para o Irã trocar material nuclear com o Ocidente. Essa é a mais recente das contrapropostas de Teerã às potências lideradas pelos Estados Unidos. O acordo busca diminuir o temor de que Teerã possa construir uma arma atômica, ao remover boa parte do urânio pouco enriquecido do país. O Irã "não tem um problema com o solo turco" como locação para uma troca de urânio enriquecido por combustível nuclear, disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, à televisão estatal, ontem. Washington quer que o Irã aceite uma oferta para que aumente o controle internacional sobre seu programa nuclear.

AE-AP, Agencia Estado

25 de dezembro de 2009 | 14h48

Na Turquia, o ministro das Relações Exteriores Ahmet Davutoglu saudou a declaração e disse que seu governo está pronto para fazer seu melhor a fim de ajudar na busca de uma solução diplomática para o impasse em torno do programa nuclear iraniano. Antes, o Irã afirmava que a troca deveria ocorrer apenas em seu próprio território, mas a novidade não é uma mudança significativa. Os EUA e seus aliados exigem que Teerã aceite os termos de um acordo mediado pela Organização das Nações Unidas (ONU), sem alterações.

De acordo com o plano, o Irã exportaria urânio pouco enriquecido, que seria mais enriquecido na Rússia e na França, tornando-se barras de combustível. Os iranianos precisam dessas barras para seu reator de pesquisa em Teerã. Segundo o plano, o Irã devolveria essas barras aproximadamente um ano depois. Ao exportar o urânio, o país ficaria sem estoque suficiente do material para construir uma ogiva nuclear. No entanto, o Irã afirma que seu programa tem apenas fins pacíficos, como gerar eletricidade.

"A troca é aceitável", afirmou Mottaki na entrevista. Porem, o ministro notou que é importante que o Ocidente demonstre sua credibilidade nesse caso. "Ameaças e sanções não servem para nada", disse. O enriquecimento de urânio pode ser usado tanto em um reator de energia nuclear quanto para produzir uma ogiva. A ONU exige que o Irã suspenda todo o processo de enriquecimento e o Conselho de Segurança já impôs três rodadas de sanções ao país por isso. Os EUA e seus aliados ameaçam com mais sanções, caso Teerã não coopere.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUATurquianuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.