Irã protesta contra acusações da Argentina

O governo iraniano voltou a protestar, desta vez perante o encarregado de Assuntos Exteriores da Argentina em Teerã, Ernesto Carlos Alvarez, contra o pedido de captura internacional de funcionários e autoridades religiosos iranianos, que a Justiça argentina vincula ao atentado de 1994 contra uma associação judaica em Buenos Aires.No atentado, ocorrido em 18 de julho de 1994 contra a Associação Mutual Israelense Argentina (AMIA), 89 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas. O diretor geral para Assuntos Americanos da Chancelaria iraniana, Mehdi Mohtashemi, expressou seu "forte protesto contra a repetição de acusações" feitas por representantes da Justiça argentina, e pediu ao governo de Buenos Aires que fique atento à "campanha de propaganda antiiraniana promovida por certos órgãos da imprensa" argentinos, informou a agência iraniana IRNA. O jornal argentino La Nación informo que a Justiça argentina buscava interrogar o ex-embaixador iraniano em Buenos Aires e outras 21 pessoas, entre elas diplomatas de alto nível, que trabalhavam na embaixada do Irã em Buenos Aires, na época do atentado. O diário disse que a solicitação estava sendo examinada por um juiz argentino, e que as autoridades locais estavam preocupadas com que o fato pudesse provocar irritação no governo iraniano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.