Irã qualifica ataque ao Parlamento iraquiano de ato satânico

O Irã condenou nesta sexta-feira, 13, o atentado desta quinta-feira contra a sede do Parlamento iraquiano, que causou a morte de um deputado do partido sunita Diálogo Nacional, e o qualificou de "ação satânica e desumana".O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores iraniano, Mohammad Ali Hosseini, disse que "esta ação satânica e desumana foi cometida pelos inimigos do povo iraquiano e teve como alvo deputados sunitas e xiitas".Hosseini, citado pela agência de notícias Irna, pediu a todas as forças políticas e religiosas iraquianas que "atuem em favor da reconciliação nacional e adotem medidas adequadas para garantir a retirada das tropas estrangeiras do Iraque".Após o atentado, perpetrado por um suicida na lanchonete do Parlamento, diversas fontes iraquianas e americanas cifraram em oito o número total de mortos, sendo três parlamentares. Nas últimas horas, no entanto, o número de vítimas fatais foi reduzido e só se confirmou oficialmente a morte do deputado sunita Mohammed Awad.Os Estados Unidos acusam o Irã de apoiar grupos insurgentes iraquianos, enquanto vários líderes sunitas denunciam a suposta intervenção de Teerã no Iraque a favor de milícias xiitas supostamente envolvidas no seqüestro e assassinato de membros dacomunidade sunita iraquiana.Por sua parte, o Irã rejeita tais acusações e responsabilizadas "tropas estrangeiras", em alusão às americanas e britânicas, de estar por trás do conflito sectário entre sunitas e xiitas do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.