Irã quer construir petroleiros nucleares

Parlamento discute projeto de lei que prevê utilização de urânio em embarcações do país para driblar sanções

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2012 | 03h03

Uma comissão do Parlamento iraniano aprovou ontem um anteprojeto de lei que exige do governo a construção de navios mercantes impulsionados por energia nuclear. A medida deve ser votada esta semana.

Apesar de o Irã ter um projeto para a construção de um submarino nuclear, especialistas dizem que a propulsão atômica em navios convencionais é contraproducente. Se aprovada, a lei parece ser uma medida simbólica para fortalecer o argumento de que o país tem direito ao uso civil da energia nuclear.

Segundo autor do projeto, o deputado Mohamed Bayatian, o embargo imposto pela União Europeia ao petróleo iraniano - que inclui um veto ao reabastecimento a navios com bandeira de Teerã em seus portos - aumentou a necessidade de buscar alternativas energéticas para alimentar os petroleiros do país. "Em razão das sanções que os inimigos impuseram ao nosso país, essa lei tem de ser aprovada", disse o parlamentar.

Negociações. Submarinos nucleares funcionam com urânio enriquecido com um grau de pureza de 20%, capacidade que o Irã já detém. Algumas embarcações usadas pela marinha americana, no entanto, utilizam o combustível enriquecido a 90%, grau próximo do necessário para a construção de armas nucleares. As negociações entre as potências ocidentais e Teerã sobre o polêmico programa nuclear do país estão emperradas. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.