Irã quer manter programa nuclear mesmo sob sanções

O Irã vai manter seu programa nuclear, mesmo sob ameaça de uma nova rodada de sanções no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmou o ministro de Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki. Sua declaração foi divulgada pela agência russa de notícias RIA Novosti, nesta quarta-feira. "O Irã não leva as sanções a sério", disse Mottaki, de acordo com a agência. Segundo ele, a construção da usina nuclear de Bushehr ainda será concluída, com o apoio da Rússia, conforme compromissos assumidos anteriormente.

AE, Agência Estado

19 Maio 2010 | 14h49

Os membros do Conselho de Segurança com poder de veto - EUA, Rússia, China, França e Grã-Bretanha - chegaram a um acordo sobre um projeto prévio para impor novas sanções ao Irã, disse ontem a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton.

No dia anterior, Brasil e Turquia haviam firmado um acordo com o Irã, segundo o qual o país persa enviará seu urânio enriquecido à Turquia e, em troca, receberá combustível nuclear para seu reator de pesquisas em Teerã. As potências lideradas pelos EUA temem que o Irã busque secretamente produzir armas nucleares, o que o governo iraniano nega. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Irã programa nuclear sanções ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.