Irã quer vender tecnologia nuclear

Ahmadinejad anuncia oferta a países não-alinhados

AP, EFE E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2004 | 00h00

Teerã - O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, ofereceu ontem os conhecimentos do Irã em tecnologia nuclear aos membros do Movimento dos Países Não-Alinhados (Noal), ao mesmo tempo em que criticou duramente a política dos EUA com relação a seu país. Em um discurso durante reunião ministerial do Noal, inaugurada ontem em Teerã, ele pediu aos Estados em desenvolvimento que resistam às tentativas de "algumas potências arrogantes de impor sua hegemonia por meio da globalização".Ele também descartou a possibilidade de um ataque dos EUA, dizendo que o poder americano no Iraque e na região estava decaindo. Ahmadinejad disse que, com base em seus cálculos de engenheiro e em sua crença em Deus, está convencido de que o Irã não será atacado pelas potências ocidentais, que tentam pôr fim a seu programa nuclear.As desafiadoras declarações de Ahmadinejad foram feitas um dia após ele anunciar que o Irã já tem 3 mil centrífugas, alcançando seu objetivo de enriquecer urânio em escala industrial. O anúncio, no entanto, contrasta com o relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), segundo o qual o Irã teria cerca de 2 mil centrífugas. A agência da ONU disse que o Irã havia reduzido o ritmo de enriquecimento e estava cooperando com os inspetores internacionais. Em abril, o Irã anunciou que já estava enriquecendo urânio em escala industrial, mas a AIEA disse, na ocasião, que Teerã tinha apenas 328 centrífugas.Para o especialista americano em armas nucleares Gary Milhollin, possivelmente o Irã não tem componentes suficientes para montar essas 3 mil centrífugas. "Mas se o programa nuclear do Irã continuar progredindo, em três ou quatro anos os iranianos terão a capacidade de construir uma bomba atômica", disse ao Estado o consultor do Pentágono.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.