Irã reafirma construção de usina nuclear e nega críticas dos EUA

O presidente do Irã, Mohammed Khatami, prometeu continuar com a construção de uma usina nuclear, mas rejeitou as acusações de que o país tenha planos de desenvolver armas nucleares. Khatami disse, em visita ao Paquistão, que o Irã ficaria feliz em enviar qualquer combustível nuclear reprocessado - fonte de plutônio enriquecido - ao exterior para reprocessamento. "Nós não temos problemas em enviar o lixo nuclear e o urânio usado para outros países", disse Khatami, durante entrevista coletiva com o primeiro-ministro do Paquistão, Zafarullah Khan Jamali. "Nós não estamos insistindo em manter esse material no Irã, onde ele poderia se tornar um problema ambiental", acrescentou. Contudo, os EUA têm criticado fortemente a usina nuclear que os iranianos estão construindo com a ajuda da Rússia em Bushehr, no sul do Irã, dizendo que isso poderá promover avanços no suposto programa de armas nucleares do país. O Irã afirma que a usina será usada apenas para gerar energia. "Nós estamos muito felizes porque teremos um usina nuclear no Irã, e nós iremos desenvolver isso para energia e propósitos pacíficos, eu repito, propósitos pacíficos", disse Khatami. "Nós acreditamos que armas atômicas e nucleares não vão assegurar a paz e a segurança de qualquer país", afirmou. Ele criticou a posição dos EUA em relação a países que estão emergindo no campo nuclear, como o Paquistão, e disse que Washington deveria voltar sua atenção a Israel. "Nós acreditamos que esses países deveriam pressionar o regime sionista de Israel, que segundo os rumores tem centenas de armas nucleares e que ameaçam a paz e a segurança internacional", disse Khatami.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.