Irã recebe líder do Hamas e pede a ele que resista a Israel

Dirigentes iranianos reiteram a Ismail Haniyeh seu apoio a grupos que combatem os israelenses e enviam mensagem velada ao Fatah

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h06

Os principais líderes iranianos prometeram apoio total ao Hamas, movimento islâmico que controla a Faixa de Gaza desde 2007, e recomendaram ao primeiro-ministro do território palestino, Ismail Haniyeh, que os militantes do grupo continuem sua resistência contra Israel. As informações foram veiculadas pela TV oficial do Irã, na noite do domingo.

O aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do governo de Teerã, afirmou que o regime do país persa estará sempre ao lado da "resistência" contra os israelenses e alertou ao premiê de Gaza contra palestinos que fazem concessões a Israel - em uma aparente referência ao Fatah, partido laico que governa a Cisjordânia e se diz a favor da solução de dois Estados para a questão palestina.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, também foi citado pela TV do país persa, afirmando que é "dever" do Irã estar ao lado dos palestinos.

As declarações dos iranianos foram feitas ao mesmo tempo em que o governo de Teerã observa com apreensão as tentativas do Hamas de aproximar-se dos países árabes mais ricos. Uma ampliação do apoio ao movimento palestino por parte dos governos árabes poderia significar um comprometimento do grupo islâmico - considerado terrorista por Israel, EUA e União Europeia - para moderar suas ações e não constranger os possíveis patrocinadores.

"O povo não espera nada além da continuidade da resistência palestina", declarou Khamenei, afirmando que o Hamas "deve estar atento à influencia de elementos que fazem concessões, (...) já que a irrupção de tal doença é gradual".

Khamenei afirmou que Yasser Arafat, líder da Autoridade Palestina morto no fim de 2004, perdeu sua popularidade em virtude de seu distanciamento da resistência. "A resistência atrai o povo e é um grande recurso, que deve ser protegido."

O líder supremo do Irã afirmou que o país persa sempre estará "ao lado do povo da Palestina e do movimento de resistência".

Na sexta-feira, Haniyeh havia iniciado uma viagem oficial de três dias a Teerã. No domingo, encontrou-se com o aiatolá e o presidente. "Como seu dever, a nação iraniana sempre esteve próxima à oprimida Palestina", disse Ahmadinejad. O líder de Gaza afirmou no dia 3 que o Hamas continuará com a estratégia de "libertação de todas as terras palestinas, da busca da resistência e da rejeição às negociações de paz (com Israel)".

As declarações ocorrem enquanto o principal líder do Hamas no exílio, Khaled Meshal, conduz uma aparente mudança de política. Ele tem buscado reconciliar seu movimento com o Fatah do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas - apoiado pelo Ocidente e a favor de negociações com Israel -, além de propor protestos pacíficos como uma ferramenta de luta contra a ocupação israelense. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.