Irã recusa-se a extraditar suspeitos da Al-Qaeda

O Irã rejeitou exigência dos Estados Unidos para que extradite supostos membros da Al-Qaeda atualmente sob sua custódia e informou que os suspeitos serão julgados em tribunais iranianos, informou a rádio estatal iraniana. Um dia antes, o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, insistiu que os supostos líderes da Al-Qaeda detidos pelo Irã deveriam ser extraditados a seus países de origem ou aos Estados Unidos, para que sejam julgados."Os membros da Al-Qaeda atualmente sob nossa custódia cometeram crimes no Irã", lembrou Hamid Reza Asefi, porta-voz do ministério iraniano das Relações Exteriores, citado pela rádio. "Eles serão julgados em tribunais iranianos e serão punidos com base nas leis do país", afirmou o porta-voz. Asefi aproveitou ainda para qualificar como "irrelevante" a exigência de Powell.No último domingo, o porta-voz informou que o Irã entregou ao Conselho de Segurança da ONU uma lista contendo a identidade de 225 supostos membros da Al-Qaeda detidos em solo iraniano e enviados de volta a seus países de origem. Questionado sobre o número de suspeitos ainda sob custódia iraniana, Asefi foi vago, alegou motivos de segurança e disse que o Irã não revelaria quantos são, nem a identidade deles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.