Irã rejeita resolução da ONU sobre urânio

O embaixador do Irã junto à Organização das Nações Unidas (ONU), Javad Zarif, rejeitou uma resolução do Conselho de Segurança do órgão pedindo ao seu país que suspenda sua atividades de enriquecimento de urânio até 31 de agosto.A resolução aventa a possibilidade de sanções econômicas e diplomáticas contra o Irã, caso as exigências não sejam atendidas.Zarif afirmou na capital iraniana, Teerã, nesta terça-feira que o programa nuclear de seu país não representa uma ameaça à paz internacional e que levar o caso ao Conselho de Segurança é ilegal.O Irã já deixou claro que, se a resolução fosse aprovada, não estudaria mais a oferta de um pacote de incentivos para suspender o enriquecimento de urânio.O analista de Política Iraniana da BBC, Sadeq Saba, o governo do país pode também decidir suspender a cooperação com os inspetores nucleares da ONU, ou se retirar do Tratado de Não-Proliferação Nuclear.´Medidas apropriadas´Se o Irã não "suspender todas as atividades relativas ao enriquecimento e reprocessamento, incluindo pesquisa e desenvolvimento" até 31 de agosto, o Conselho de Segurança da ONU poderá tomar "medidas apropriadas", de acordo com a resolução.O Irã havia dito na semana passada que responderia no dia 22 de agosto se aceita ou não o pacote de incentivos proposto em junho para que o país suspenda suas atividades nucleares.No entanto, o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou no domingo que a crise no Líbano poderia levar o país a reavaliar sua resposta ao pacote de incentivos.Rússia e ChinaO texto foi aprovado por 14 votos a 1. O Catar foi o único que se posicionou contra a resolução.O documento foi originalmente formulado por Grã-Bretanha, Alemanha e França, com apoio americano. A resolução aprovada é mais branda, por insistência de Rússia e China, do que versões anteriores que previam sanções imediatas.Na última sexta-feira, o Irã pediu pela continuidade das negociações internacionais, possibilidade refutada a menos que o país suspenda seu programa de enriquecimento de urânio.Os Estados Unidos e outros países ocidentais acusam o Irã de usar seu programa nuclear como fachada para a produção de armas. O Irã insiste que o programa tem fins pacíficos e o único objetivo é a produção de eletricidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.