Irã rompe negociação com EUA sobre ajuda no Iraque

O Irã encerrou as negociações com os Estados Unidos sobre as formas de pacificar o Iraque porque ?eles (os americanos) não estavam indo a lugar nenhum?, disse o chanceler iraniano, Kamal Kharrazi, em uma rara admissão de negociações entre Teerã e Washington. De acordo com Kharazi, o Irã respondeu positivamente a um pedido dos EUA, feito por intermédio da Suíça, para ajudar a melhorar a segurança no Iraque."No início, houve diálogo" sobre o Iraque, admitiu Kharrazi em conversa com jornalistas. "Agora as negociações pararam porque sentimos que não estávamos indo a lugar nenhum. Os americanos fazem promessas, mas não as cumprem. No momento, eles estão no caminho errado." Ele não entrou em detalhes sobre quem participou das discussões com os EUA e não revelou onde elas ocorreram, mas deu a entender que nem todos os canais foram cortados.Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Richard Boucher, negou-se a responder diretamente a uma questão sobre se o governo americano teria procurado autoridades iranianas para ajudar a acalmar a situação no sul do Iraque, onde a população é majoritariamente xiita, como no Irã.Boucher limitou-se a dizer que os EUA estão "preocupados com algumas ações iranianas" no Iraque. Hoje, a Agência de Notícias da República Islâmica noticiou que Hossein Sadeghi, um alto diplomata iraniano, foi despachado para o Iraque para consultas com clérigos locais e com o Conselho de Governo iraquiano. Acredita-se que a visita de Sadeghi ao Iraque seja uma resposta a um pedido de Washington a Teerã, para que ajude a conter a rebelião xiita no sul iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.