Irã se diz 'pronto para cooperar' com Argentina

O Irã está preparado para cooperar com a Argentina para esclarecer o atentado contra um centro comunitário judaico que em 1994 provocou a morte de 85 pessoas e feriu centenas em Buenos Aires, anunciou a chancelaria iraniana neste sábado.

AE, Agência Estado

16 de julho de 2011 | 13h46

O governo iraniano, apontado por promotores argentinos como suspeito de envolvimento no atentado, declarou-se "pronto para um diálogo construtivo e para cooperar com o governo argentino de forma a lançar toda a luz possível com vistas ao esclarecimento do caso", diz a nota do Ministério das Relações Exteriores do Irã.

O pronunciamento iraniano vem à tona apenas dois dias antes de se completarem 17 anos do atentado contra a sede da Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA). Promotores argentinos suspeitam que o ataque tenha sido ordenado por Teerã e executado pelo braço armado do grupo libanês pró-iraniano Hezbollah.

O atentado contra a AMIA, perpetrado em 18 de julho de 1994, deixou 85 mortos em mais de 300 feridos. A Argentina abriga a maior comunidade judaica da América Latina. Cerca de 200.000 judeus vivem no país sul-americano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãArgentinaAmia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.