Irã se oferece para ajudar os EUA com a retirada do Iraque

O Irã está tão interessado em ver os Estados Unidos fora do Iraque que seu chanceler disse que Teerã quer ajudar Washington a achar um jeito de sair. O ministro iraniano Manouchehr Mottaki disse que as tropas americanas são responsáveis por, pelo menos, metade da violência que divide o Iraque, e que a partida dos americanos iria trazer mais segurança para toda a região. "Se os EUA mudarem suas atitudes, a República Islâmica do Irã está pronta para ajudar na retirada do Iraque", disse Mottaki, na conferência do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, que se realiza no Bahrein. Pressionado a explicar que tipo de auxílio seu país teria a oferecer, o ministro mostrou-se evasivo."Quando eles tiverem se decidido a partir, então explicaremos", disse Mottaki a jornalistas, após seu discurso. "Estamos numa posição de ajudar, de todas as formas, na estabilidade do Iraque". Mas Teerã não vê vontade política séria nos Estados Unidos para conversar sobre o assunto, afirmou o ministro.Mottaki repetiu apelos feitos, na semana passada, pela principal autoridade iraniana de segurança nacional, Ali Larijani, para que os países árabes da região do Golfo Pérsico expulsem as bases militares americanas e estabeleçam um pacto regional de segurança. O discurso de Mottaki foi um desafio claro aos interesses americanos no Golfo, e uma exibição clara da crescente firmeza iraniana frente aos fracassos americanos na região.

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2006 | 10h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.